Novidades no SharePoint Designer 2010

Com o SharePoint Designer 2010, pode criar aplicações completas, avançadas, reutilizáveis e centradas em processos na plataforma do SharePoint que integra dados externos. O SharePoint Designer 2010 permite criar aplicações compostas através da configuração ou estruturação de componentes, tais como origens de dados, listas, tipos de conteúdo, vistas, formulários, fluxos de trabalho e tipos de conteúdo externo, tudo sem escrever qualquer código. Além disso, o SharePoint Designer 2010 fornece ferramentas para todos os componentes importantes numa solução do SharePoint: "Não tem de sair do SharePoint Designer para criar a sua solução".

Neste artigo


Interface de utilizador reestruturada

A interface de utilizador do SharePoint Designer 2010 foi totalmente reestruturada para "introduzir o SharePoint no SharePoint Designer". Agora, é fácil localizar todos os componentes importantes de um site ou solução: listas e tipos de conteúdo, vistas e formulários, fluxos de trabalho, origens de dados e tipos de conteúdo externo, esquemas de página e páginas mestras. É igualmente fácil ver como os componentes estão relacionados entre si, por exemplo, quando vê a página de resumo de uma lista, pode ver facilmente todas as vistas, formulários, fluxos de trabalho, tipos de conteúdo e acções personalizadas da lista.

Separador Ficheiro

Quando inicia o SharePoint Designer 2010, o novo separador Ficheiro faz com que seja mais fácil começar a trabalhar. Aqui pode abrir sites existentes ou criar novos sites. Também pode abrir páginas ou sites nos quais trabalhou recentemente e adicionar novos componentes, tais como listas e fluxos de trabalho, ao site actual.

Página de resumo do site

Todos os sites têm uma página de resumo na qual pode alterar as definições ou gerir vários aspectos do site. Por exemplo, agora pode gerir permissões directamente a partir do SharePoint Designer 2010. Como qualquer página de resumo, a página de resumo do site mostra os componentes relacionados - por exemplo, aqui pode ver e navegar facilmente em todos os subsites do site actual.

Painel de navegação

O Painel de navegação facilita a localização e navegação em todos os componentes importantes de um site utilizado para criar uma solução. Quer esteja a efectuar a modelação dos dados e necessite trabalhar com listas e tipos de conteúdo, quer esteja a estruturar fluxos de trabalho para adicionar a lógica que "consolida" a solução, poderá localizar os componentes necessários no Painel de navegação.

Páginas de galeria

As páginas de galeria facilitam a localização e edição dos componentes importantes da solução. No Painel de navegação, ao clicar em qualquer componente, é apresentada uma galeria de todos os componentes no site actual, por exemplo, pode ver facilmente todos os fluxos de trabalho ou listas no site. Numa página de galeria, basta clicar num componente para o editar.

Páginas de resumo

Uma página de resumo proporciona uma vista total ou um portal de todas as partes que constituem um componente. Por exemplo, a página de resumo de um tipo de conteúdo mostra os formulários e fluxos de trabalho desse tipo de conteúdo. A página de resumo de uma lista mostra as vistas, os formulários, o tipo de conteúdo, as acções personalizadas e os fluxos de trabalho dessa lista. Numa página de resumo, pode editar as definições desse componente, tal como o nome ou as permissões, ou pode editar o próprio componente.

Editores de listas e tipos de conteúdo

Com o SharePoint Designer 2010, pode editar todos os componentes importantes que fazem parte de uma solução do SharePoint, incluindo as listas e tipos de conteúdo. As listas e tipos de conteúdo são utilizados para a modelação de dados, razão pela qual estes componentes estão frequentemente no núcleo de uma solução. E agora, o SharePoint Designer 2010 inclui um editor de páginas inteiras para as listas e tipos de conteúdo. Pode editar rapidamente as colunas e definições de uma lista ou tipo de conteúdo num local, sem ter de navegar entre páginas como no browser.

Barra de navegação

À medida que navega pelos componentes de um site, a Barra de navegação pode ajudá-lo a perceber onde se encontra no site e o modo como os diversos componentes estão relacionados entre si. A Barra de navegação apresenta trilhos que mostram onde se encontra na hierarquia do site. Também dispõe de botões Avançar e Retroceder, um menu pendente Páginas Recentes que mostra o histórico de navegação recente e menus pendentes para cada nó que mostram todos os elementos subordinados de uma página ou componente na hierarquia.

Friso

O Friso permite um trabalho mais eficiente e produtivo no SharePoint Designer 2010, uma vez que o Friso mostra todas as funcionalidades importantes adequadas ao contexto em que está a trabalhar. Por exemplo, se estiver a trabalhar com uma Vista de Dados no editor de páginas, os separadores contextuais são apresentados no Friso que fornece todas as ferramentas e opções para trabalhar com Vistas de Dados: formatação condicional, filtragem e ordenação, adição ou remoção de colunas, actualizações assíncronas, entre outras opções disponíveis apenas com um clique.

Zoom para Conteúdo

Uma página do SharePoint pode ter diversas acções a decorrer relacionadas com os marcadores de posição de conteúdo, zonas de Peças Web, controlos e outros elementos de página. Quando está a trabalhar numa página do SharePoint, muitas vezes poderá pretender concentrar-se num só elemento, como o PlaceHolderMain ou uma zona de Peça Web ou uma Vista de Dados. Agora, pode seleccionar qualquer destes elementos e, em seguida, clicar em Zoom para Conteúdo no Friso. Depois de aplicar o zoom ao conteúdo, a vista de Estrutura e a vista de Código irão mostrar apenas o elemento com o qual pretende trabalhar, evitando que se distraia com o excesso de elementos visuais ou o código no resto da página.

Vista Todos os Ficheiros

A nova interface de utilizador no SharePoint Designer 2010 concentra-se em mostrar todos os componentes importantes de uma solução do SharePoint. Se utilizava a Lista de Pastas nas versões anteriores do SharePoint Designer, poderá continuar a tirar partido da experiência de trabalhar com ficheiros e pastas num site utilizando a vista Todos os Ficheiros.

Início da Página Início da Página

Fluxos de trabalho

O SharePoint Designer 2010 inclui melhoramentos significativos nos fluxos de trabalho. Agora, pode estruturar rapidamente fluxos de trabalho que facilitem uma vasta variedade de processos de negócio e humanos. Além disso, muitos blocos modulares novos significam que os fluxos de trabalho são mais flexíveis e eficientes e capazes de efectuar a modelação de processos e lógica empresarial mais complexa.

Fluxos de trabalho reutilizáveis

Com o SharePoint Designer 2010, pode criar fluxos de trabalho facilmente reutilizáveis. Pode criar um fluxo de trabalho reutilizável no site de nível superior na colecção de sites e esse fluxo de trabalho será globalmente reutilizável, o que significa que o fluxo de trabalho pode ser associado a qualquer lista ou biblioteca na colecção de sites. Também pode criar um fluxo de trabalho reutilizável em qualquer subsite na colecção de sites; este fluxo de trabalho está disponível para reutilização nesse subsite específico.

Exportar fluxos de trabalho

Agora, pode exportar um fluxo de trabalho reutilizável a partir de uma colecção de sites e, em seguida, carregar e activar esse fluxo de trabalho numa colecção de sites diferente. O SharePoint Designer 2010 suporta a exportação de um fluxo de trabalho como um pacote de solução ou ficheiro .wsp.

Colunas de associação

Se o fluxo de trabalho reutilizável necessitar da presença de determinadas colunas na lista ou biblioteca associada, pode adicionar essas colunas como colunas de associação. As colunas de associação são adicionadas automaticamente a uma lista ou biblioteca quando um fluxo de trabalho reutilizável é associado a essa lista ou biblioteca.

Associar fluxos de trabalho a tipos de conteúdo

Quando cria um fluxo de trabalho reutilizável, pode optar por filtrar o fluxo de trabalho reutilizável por um tipo de conteúdo específico. Em seguida, no browser, pode associar o fluxo de trabalho reutilizável a esse tipo de conteúdo específico ou a qualquer tipo de conteúdo herdado desse tipo de conteúdo. Se associar um fluxo de trabalho a um tipo de conteúdo do site, esse fluxo de trabalho será disponibilizado a todos os itens desse tipo de conteúdo em cada lista e biblioteca às quais esse tipo de conteúdo do site tenha sido adicionado.

Fluxos de trabalho do site

Pode considerar um fluxo de trabalho de site como um processo ao nível do site geral. Um fluxo de trabalho de site está associado a um site - não a uma lista, biblioteca ou tipo de conteúdo. Assim, ao contrário da maioria dos fluxos de trabalho, um fluxo de trabalho de site não é executado num item de lista específico. No browser, pode iniciar um fluxo de trabalho de site ou ver o estado de fluxos de trabalho do site em execução, clicando em Fluxos de Trabalho do Site no menu Acções do Site.

Editar os fluxos de trabalho incluídos no SharePoint Server

Os três fluxos de trabalho mais populares no SharePoint Server - os fluxos de trabalho de Aprovação, Recolha de Comentários e Recolha de Assinaturas - foram totalmente recriados como fluxos de trabalho declarativos, o que significa que agora são totalmente personalizáveis no SharePoint Designer 2010. Estes fluxos de trabalho são orientados pelos eventos e todos os eventos importantes no fluxo de trabalho são apresentados no editor de fluxos de trabalho, quer para cada tarefa no processo, quer para o processo global. Por exemplo, pode adicionar facilmente condições e acções para definir o que acontece quando cada tarefa for atribuída, expirar ou for concluída.

Estruturar um processo de aprovação personalizado

O SharePoint Designer 2010 inclui três novas acções de aprovação: Atribuir Item para Aprovação, Atribuir Item para Comentários e Processo de Tarefa Geral. Os três fluxos de trabalho mais importantes incluídos no SharePoint Server 2010 - os fluxos de trabalho de Aprovação, Recolha de Comentários e Recolha de Assinaturas - foram criados com estas acções. As acções de aprovação mostram todos os eventos importantes num processo de aprovação, facilitando a estruturação de um processo de fluxo de trabalho humano onde muitas pessoas interagem ou colaboram num documento específico.

Passos de representação

Na versão anterior do SharePoint Designer, um fluxo de trabalho representava sempre o utilizador que tinha iniciado o fluxo de trabalho e era executado com as permissões desse utilizador. Agora, no SharePoint Designer 2010, pode utilizar os passos de representação para que o fluxo de trabalho execute acções representando o autor do fluxo de trabalho em vez da pessoa que iniciou o fluxo de trabalho. Os passos de representação são muito úteis em cenários de aprovação e publicação, nos quais as pessoas que submetem conteúdo para aprovação e as pessoas que aprovam o conteúdo têm permissões diferentes.

Integração com o Visio

Imagine que a sua organização tem um analista de negócio que é quem melhor conhece o processo necessário para o fluxo de trabalho. Com o SharePoint Designer 2010 e o Visio Professional 2010, um analista de negócio pode agora criar graficamente esboços de fluxos de trabalho no Visio. O Visio Professional 2010 inclui um modelo do Fluxo de Trabalho do Microsoft SharePoint que inclui formas para todas as condições e acções de fluxo de trabalho. Pode começar no Visio e, em seguida, exportar para o SharePoint Designer, ou pode começar no SharePoint Designer e, em seguida, exportar para o Visio, ou pode iterar numa estrutura de fluxos de trabalho com muitos ciclos de ida e volta entre ambos os programas sem perder qualquer definição do fluxo de trabalho.

Visualizações de fluxo de trabalho

Pode ver facilmente o estado de qualquer fluxo de trabalho em execução na página Estado do Fluxo de Trabalho. Com uma visualização de fluxo de trabalho, um diagrama do Visio do fluxo de trabalho é automaticamente criado e apresentado numa Peça Web do Visio na página Estado do Fluxo de Trabalho. A visualização do fluxo de trabalho mostra uma vista "em directo" do momento exacto onde se encontra um fluxo de trabalho específico. As visualizações de fluxos de trabalho necessitam de ter o Visio Professional 2010 instalado no computador e os Serviços de Gráficos do Visio em execução no servidor.

Formulários do InfoPath

Se o servidor tiver o SharePoint Server 2010 em execução (e não apenas o SharePoint Foundation 2010), todos os formulários de fluxo de trabalho - o formulário de associação, o formulário de iniciação e os formulários de tarefas - são agora formulários do InfoPath 2010. É fácil alterar o aspecto e esquema dos formulários do InfoPath e é possível adicionar regras de validação a um formulário do InfoPath. Para editar um formulário de fluxo de trabalho no InfoPath 2010, basta clicar no formulário e o InfoPath abre directamente a partir do SharePoint Designer 2010.

Subpassos e novas acções de fluxo de trabalho

O SharePoint Designer 2010 inclui vários blocos modulares novos, tais como os subpassos e as novas acções de fluxo de trabalho. Por exemplo, se o fluxo de trabalho estiver associado a uma biblioteca de documentos ou se estiver filtrado pelo tipo de conteúdo Documento, será apresentado um grupo de acções de Conjunto de Documentos contextuais. Um conjunto de documentos é uma nova funcionalidade no SharePoint Server 2010, na qual um grupo de documentos é tratado como uma única unidade, pelo que uma acção de fluxo de trabalho para um conjunto de documentos irá iterar em todos os itens desse conjunto de documentos. Outras novas acções de fluxo de trabalho incluem acções de utilitários para manipular cadeias e datas; uma nova acção relacional que utiliza o Active Directory para pesquisar o responsável por uma determinada pessoa; e novas acções de lista que um fluxo de trabalho pode utilizar para definir permissões num item de lista.

Início da Página Início da Página

Vistas e formulários

Esta versão do SharePoint introduz novas capacidades significativas de vistas e formulários para listas: formulários do Infopath e Peça Web Vista de Lista XSLT. Agora, dispõe de maior flexibilidade na escolha do modo como as pessoas irão interagir com os dados utilizando as vistas e os formulários na solução.

Peça Web Vista de Lista XSLT

Qualquer vista de lista padrão nos produtos do SharePoint 2010 é agora uma Vista de Dados - especificamente, uma Peça Web Vista de Lista XSLT (XLV). Isto significa que pode personalizar facilmente qualquer vista de lista padrão no SharePoint Designer 2010 - por exemplo, agora pode adicionar formatação condicional a qualquer vista de lista. Além disso, depois de personalizar uma vista de lista no SharePoint Designer 2010, ainda pode modificar essa vista utilizando todas as opções do browser, tais como a adição ou remoção de colunas ou a filtragem e ordenação. Uma XLV é totalmente personalizável no SharePoint Designer e no browser.

Modelos XSLT partilhados significam código mais simples e melhor desempenho

A Peça Web Vista de Lista XSLT (XLV) utiliza folhas de estilos XSLT partilhadas que residem no directório _esquemas no servidor. Todas as vistas de lista padrão em todo o servidor utilizam o mesmo conjunto de modelos XSLT partilhados. Uma XLV utiliza um modelo para formatar cada campo (ou coluna), um modelo para formatar a linha e um modelo para formatar a tabela. Quando personaliza o aspecto de uma XLV, gera modelos XSL de substituição apenas para os modelos específicos que modificar - por exemplo, se realçar um campo, gera um XSLT que substitui apenas o modelo partilhado desse campo específico. Isto significa que é mais fácil trabalhar com a XLV na vista de Código e que também obtém melhor desempenho quando esta página é apresentada no browser.

Anular facilmente personalizações revertendo o XSLT

Se personalizar uma Peça Web Vista de Lista XSLT e mais tarde decidir que pretende anular essas alterações, ou se encontrar erros no XSL que não consegue corrigir, pode sempre reverter uma XLV para como era originalmente antes de serem efectuadas quaisquer alterações. Quando reverte o XSLT para uma XLV, a XLV volta a utilizar os modelos XSLT partilhados no servidor. Pode optar por reverter a vista inteira ou apenas modelos XSLT específicos, tais como o modelo de item.

Criar Vistas de Dados a partir do Friso

A Vista de Dados é uma funcionalidade eficiente para ver e editar dados a partir de uma vasta gama de origens de dados, incluindo os dados de listas do SharePoint e dados externos, no SharePoint. O Friso facilita a inserção de uma Vista de Dados com apenas alguns cliques. Em seguida, pode personalizar ainda mais a Vista de Dados utilizando todas as opções em Ferramentas de Vista de Lista (para XLVs) ou Ferramentas de Vista de Dados (para a Peça Web Formulário de Dados) no Friso.

Aplicar formatação condicional a partir do Friso

A formatação condicional pode dar um maior impacto às Vistas de Dados realçando as informações que a equipa considera importantes. Agora, pode aplicar regras de formatação condicional às Vistas de Dados directamente a partir do Friso.

Partilhar estilos de vista e aplicá-los a partir do Friso

Pode partilhar facilmente estilos personalizados das vistas de lista (XLVs) com outros utilizadores da colecção de sites, carregando os estilos (ficheiros .XSL) para a biblioteca de Estilos no site de nível superior da colecção de sites. Em seguida, qualquer utilizador com as permissões adequadas pode utilizar o SharePoint Designer 2010 para aplicar estes estilos personalizados às próprias vistas de lista com apenas um clique.

As Vistas de Dados suportam AJAX

As Vistas de Dados fornecem várias funcionalidades que fazem com que seja mais fácil trabalhar com dados, tais como, a paginação, filtragem e ordenação por cabeçalhos de coluna e edição inline. Agora, pode activar as actualizações assíncronas para cada vista, de modo a que não seja necessário efectuar actualizações de página inteira a todas estas funcionalidades no browser - apenas será actualizada a Vista de Dados. Também pode especificar um intervalo de tempo para que os dados na vista sejam actualizados automaticamente ou pode adicionar um botão a uma Vista de Dados no qual os utilizadores possam clicar para actualizar manualmente a vista.

Vistas de itens relacionados

O SharePoint Designer 2010 facilita a criação de páginas de tipo dashboard que mostrem todos os dados relacionados com um item específico. Primeiro, utiliza as colunas de pesquisa para criar uma relação principal-subordinado entre os dados de duas listas diferentes - agora, nos produtos do SharePoint 2010, pode utilizar as opções de uma coluna de pesquisa de forma a impor a integridade referencial entre essas listas, para que não existam itens subordinados órfãos sem itens principais. Em seguida, a partir do Friso no SharePoint Designer 2010, pode criar facilmente vistas de itens relacionados que mostrem todos os itens subordinados de uma lista relacionados com um item principal específico de uma lista diferente.

Acções personalizadas

Com o SharePoint Designer 2010, pode fazer com que as pessoas encontrem mais facilmente as acções importantes que possam ter de ser executadas num item. Por exemplo, pode adicionar uma acção personalizada ao menu de itens de lista de qualquer lista, de modo a que os utilizadores possam iniciar um fluxo de trabalho directamente a partir do menu do item de lista. Também pode adicionar acções personalizadas como botões no Friso para as páginas de formulários e de vistas de uma lista. As acções personalizadas facilitam a utilização de soluções por parte dos utilizadores, fornecendo as acções certas no contexto certo.

Formulários do InfoPath

No SharePoint Server 2010, as listas podem agora utilizar formulários do InfoPath para os formulários Novo Item, Ver Item e Editar Item. No InfoPath é fácil alterar completamente o esquema e aspecto dos formulários. Além disso, os formulários do InfoPath fornecem funcionalidades muito úteis, tais como regras de formatação e validação. Além disso, permite igualmente flexibilidade, uma vez que qualquer tipo de conteúdo associado a uma lista pode ter o seu próprio conjunto de formulários. Quando necessitar de estruturar formulários no InfoPath, pode iniciar o InfoPath 2010 directamente a partir do Friso no SharePoint Designer 2010.

Início da Página Início da Página

Tipos de conteúdo externo e Serviços de Conectividade Empresarial

Os produtos do SharePoint 2010 e o Office 2010 incluem novas capacidades para uma integração total dos processos e dados de negócio externos na experiência de utilizador do Office e do SharePoint. Estas capacidades incluem novas funcionalidades, serviços e ferramentas na plataforma do SharePoint. Com os Serviços de Conectividade Empresarial (BCS), pode ligar a dados externos a partir do Microsoft SQL Server, serviços Web ou assemblagens .NET. Além disso, pode ligar a estes dados externos a partir do cliente ou do servidor, online ou offline, bem como criar, ler, actualizar e eliminar dados nessas origens de dados externas.

Tipos de conteúdo externo

Na versão anterior do SharePoint, existia o conceito de uma Entidade de Dados de Negócio, que era um tipo de dados de negócio externos disponível no Catálogo de Dados de Negócio. Por exemplo, uma entidade podia ser um Cliente ou uma Encomenda. Agora, uma entidade é denominada tipo de conteúdo externo (ECT). Os tipos de conteúdo no SharePoint podem apresentar comportamentos, tais como os fluxos de trabalho ou políticas a que estão associados. De igual modo, os tipos de conteúdo externo também podem apresentar comportamentos, denominados operações, associados aos mesmos. Uma operação não é um fluxo de trabalho ou uma política; determina onde os utilizadores podem criar, ler, actualizar, eliminar ou procurar instâncias do tipo de conteúdo externo. Assim, os tipos de conteúdo e os tipos de conteúdo externo têm esta característica em comum: definem não só o esquema dos dados (os campos e tipos de campos), como também os comportamentos ou operações associados aos dados.

Criar tipos de conteúdo externo no SharePoint Designer 2010

Na versão anterior, o SharePoint não suportava a criação de uma definição da aplicação no Catálogo de Dados de Negócio. Agora, o SharePoint Designer 2010 fornece as ferramentas para ligar a dados externos, criar tipos de conteúdo externo, publicar esses tipos de conteúdo externo no Catálogo de Dados de Negócio no servidor e para gerar automaticamente uma lista externa e todos os formulários necessários por essa lista externa. Com o SharePoint Designer 2010, pode apresentar dados externos de sistemas de linha de negócio, tais como o SAP ou Siebel no SharePoint, sem escrever uma única linha de código.

Listas externas

Uma lista externa é o bloco modular principal das soluções BCS. O aspecto e o comportamento de uma lista externa são praticamente iguais aos de uma lista do SharePoint, mas contém dados de uma origem externa. Uma lista externa torna mais fácil a leitura e escrita de dados externos para os utilizadores na experiência familiar de trabalho com uma lista do SharePoint. Pode criar uma lista externa e seus formulários directamente a partir do SharePoint Designer 2010. A criação de uma lista externa também cria vistas (utilizando a Peça Web Vista de Lista XSLT) e formulários (utilizando a Peça Web Vista de Lista XSLT) para o browser, e um formulário do Outlook 2010 personalizável e um formulário do InfoPath 2010. O formulário do InfoPath pode ser utilizado em vez das vistas e formulários XSLT predefinidos para ver e editar dados na lista externa no browser, e o formulário do Outlook é utilizado para apresentar dados externos no Outlook 2010.

Listas externas no SharePoint Workspace

Depois de criar uma lista externa, basta clicar no botão Ligar ao SharePoint Workspace no Friso do servidor para disponibilizar essa lista externa no SharePoint Workspace 2010. No SharePoint Workspace, pode ver e editar os dados externos directamente a partir do cliente, quer esteja ligado ou offline. O BCS fornece um mecanismo de cache e sincronização que é instalado no computador cliente e que mantém os dados actualizados e sincronizados com o sistema back-end. O SharePoint Workspace também fornece a resolução de erros e conflitos. Quando liga uma lista externa ao SharePoint Workspace, os formulários do InfoPath 2010 para ver e editar os dados no SharePoint Workspace são gerados automaticamente.

Listas externas no Outlook

Também pode ligar uma lista externa ao Outlook 2010. Quando cria um tipo de conteúdo externo no SharePoint Designer 2010, pode mapeá-lo para um tipo de item nativo do Office, tal como um contacto ou tarefa, de modo a que os dados externos tenham o aspecto e comportamento de um contacto ou item de tarefa no Outlook. Por exemplo, suponha que os dados externos são uma lista de clientes e que pretende ver esses dados externos no Outlook. Uma vez que os dados dos clientes são muito semelhantes aos contactos no Outlook, pode mapear o tipo de conteúdo externo para o item de contacto no Outlook. Depois de ligar a lista externa ao Outlook, pode criar, actualizar e eliminar os dados externos directamente a partir do Outlook, como se estivesse a criar e a actualizar contactos nativos do Outlook.

Colunas de Dados de Negócio, fluxo de trabalho e o Word

Depois de criar um tipo de conteúdo externo, pode adicionar uma coluna Dados de Negócio a uma lista ou biblioteca. Uma coluna Dados de Negócio é associada a um tipo de conteúdo externo e representa um campo desse ECT. Se uma biblioteca de documentos utilizar um documento do Word como modelo, pode editar o modelo no Word adicionando Peças Rápidas, que são controlos de conteúdo vinculados às colunas Dados de Negócio. Quando os utilizadores criam um novo documento baseado nesse modelo do Word, os dados externos são apresentados dentro do documento nos controlos de conteúdo. Os controlos de conteúdo activam automaticamente a funcionalidade de selecção e resolução para os dados externos. Com o SharePoint Designer 2010, também pode criar um fluxo de trabalho associado a esta biblioteca de documentos e que leia e escreva os dados na lista externa. No SharePoint Designer, as acções da lista de fluxo de trabalho padrão foram melhoradas para funcionarem com os dados externos.

Início da Página Início da Página

Controlar onde e como as pessoas podem utilizar o SharePoint Designer 2010

Se for um profissional de TI que administra o SharePoint na organização, saiba que pode implementar o SharePoint Designer 2010 de uma forma global e com a total confiança de que consegue controlar facilmente onde e como as pessoas na organização podem utilizar o SharePoint Designer. Além disso, a nova experiência de edição de páginas no SharePoint Designer 2010 significa que, por predefinição, personalizar páginas (procedimento também conhecido como "excluir da imagem ghost") não é possível nem necessário para compor dashboards e páginas eficientes.

Páginas de administração para a aplicação Web e colecção de sites

Se for um administrador de servidor, dispõe de uma nova página na Administração Central dedicada especificamente às definições do SharePoint Designer 2010. Se for um administrador de colecção de sites, dispõe de uma página semelhante nas Definições do Site do site de nível superior na colecção de sites. Para cada aplicação Web ou colecção de sites, dispõe agora de opções que permitem utilizar o SharePoint Designer, personalizar páginas, personalizar páginas mestras e esquemas de página e utilizar a vista Todos os Ficheiros.

A personalização de páginas necessita de permissões mais elevadas por predefinição

Agora, a personalização de páginas (procedimento também conhecido como "excluir da imagem ghost") necessita de permissões mais elevadas do que na versão anterior: por predefinição, só os Administradores de Colecções de Sites podem personalizar páginas, páginas mestras e esquemas de página, ou utilizar a vista Todos os Ficheiros. Isto significa que, no Painel de navegação, a maioria das pessoas não irá ver os nós das Páginas Mestras, Esquemas de Página e Todos os Ficheiros. Em vez disso, as pessoas irão criar soluções através da criação e armazenamento de páginas de Peças Web na biblioteca de Páginas do Site. Deste modo, é fácil manter uma imagem corporativa e esquema consistentes na aplicação Web ou na colecção de sites.

Nova experiência de edição de páginas: modo predefinido vs. modo Avançado

No SharePoint Designer 2010, é realçada a importância da criação e configuração de componentes, tais como as Vistas de Dados, os formulários e os fluxos de trabalho - e não é dada muita importância à edição de HTML e outras tarefas de designers da Web. Assim, o modo predefinido para edição de páginas de Peças Web é mais simples e intuitivo - na realidade, o modo predefinido é muito semelhante à adição de conteúdo a uma página wiki. As pessoas podem inserir Vistas de Dados e formulários, escrever texto e adicionar outro conteúdo ao marcador de posição de conteúdo principal (PlaceHolderMain), mas o resto da página é bloqueado para edição. Neste modo, todo o conteúdo personalizado reside numa Peça Web oculta, ou seja, no modo predefinido uma página não pode ser personalizada ("excluída da imagem ghost"). Por outro lado, no modo Avançado, pode personalizar totalmente a página editando o que pretender na página. Novamente, por predefinição, só os Administradores de Colecções de Sites podem editar páginas no modo Avançado.

Páginas do Site

Na versão anterior, poderia existir a preocupação em relação às pessoas guardarem ficheiros na raiz do site ou alterarem a estrutura de pastas do site. No SharePoint Designer 2010, por predefinição, a maioria das pessoas não terá acesso à vista Todos os Ficheiros num site; em vez disso, todas as novas páginas criadas num site irão residir na biblioteca de documentos Páginas do Site. A biblioteca Páginas do Site proporciona uma forma simples e optimizada de os utilizadores criarem e armazenarem os ficheiros necessários para as soluções.

Reverter facilmente páginas do site para uma versão anterior

A biblioteca Páginas do Site utiliza o controlo de versões, pelo que, se danificar uma página acidentalmente, pode reverter facilmente para uma versão anterior. No SharePoint Designer 2010, todas as páginas do SharePoint têm uma página de resumo que apresenta o histórico de versões relativo à página. Na página de resumo, pode restaurar uma versão anterior directamente a partir do Friso.

Implementação de actualizações mais fácil

As páginas personalizadas podem complicar o processo de actualização. Por exemplo, ao actualizar para o Office SharePoint Server 2007, as páginas personalizadas não assumem automaticamente o novo aspecto e funcionalidade e, normalmente, o utilizador tem de reproduzir manualmente as personalizações numa nova versão da página. Com o SharePoint Designer 2010, as pessoas podem tirar partido de todas as capacidades de personalização e criação de aplicações sem ser necessário personalizar ("excluir da imagem ghost") quaisquer páginas. Assim, pode implementar globalmente o SharePoint Designer 2010 e ter a certeza de que no futuro as actualizações do SharePoint não serão complicadas devido a um número elevado de páginas personalizadas.

Início da Página Início da Página

 
 
Aplica-se a:
SharePoint Designer 2010