Utilizar o Assistente de conversão para SQL Server

MostrarAcerca da conversão de uma base de dados do Microsoft Access

A conversão consiste em transferir parte ou a totalidade de objectos da base de dados (objectos de base de dados: uma base de dados do Access contém objectos, tais como tabelas, consultas, formulários, relatórios, páginas, macros e módulos. Um projecto do Access contém objectos, tais como formulários, relatórios, páginas, macros e módulos.) de uma base de dados do Microsoft Access (base de dados: conjunto de dados relacionados com um determinado assunto ou objectivo. Numa base de dados, as informações sobre uma determinada entidade como, por exemplo, um empregado ou uma encomenda, estão classificadas em tabelas, registos e campos.) (.mdb) para uma base de dados do Microsoft SQL Server nova ou existente ou para um novo projecto do Microsoft Access (projecto do Microsoft Access: ficheiro do Access que estabelece ligação com uma base de dados do Microsoft SQL Server e que é utilizado para criar aplicações cliente/servidor. Um ficheiro de projecto não contém quaisquer dados ou objectos baseados em definições de dados, tais como tabelas e vistas.) (.adp).

MostrarFormas de conversão

O Assistente de Conversão converte uma base de dados do Access numa base de dados do Microsoft SQL Server 2000, 7.0 e 6.5 nova ou existente ou num novo projecto do Access, transferindo os dados e as definições de dados e movendo os objectos da base de dados para a estrutura da base de dados nova.

MostrarSe o assistente não iniciar

Isto pode dever-se ao facto de o Access estar a correr em modo sandbox mas o Microsoft Jet 4.0 SP8 ou posterior não estar instalado no seu computador. O Jet 4.0 SP8 ou posterior é necessário para que o Access esteja completamente funcional quando o modo sandbox é activado.

Para obter mais informações sobre a instalação da actualização do Jet, consulte o artigo do Office Online Acerca do Microsoft Jet 4.0 SP8 ou posterior.

Para mais informações sobre o modo sandbox, consulte o artigo do Office Online Acerca do modo sandbox do Microsoft Jet Expression Service.

Existem três formas de utilizar o Assistente de Conversão:

MostrarQuando deve actualizar uma base de dados do Access para o SQL Server?

Com o tempo, a maioria das aplicações de bases de dados cresce, torna-se mais complexa e tem de suportar mais utilizadores. Depois de um determinado período de vida da aplicação de base de dados do Microsoft Access (base de dados: conjunto de dados relacionados com um determinado assunto ou objectivo. Numa base de dados, as informações sobre uma determinada entidade como, por exemplo, um empregado ou uma encomenda, estão classificadas em tabelas, registos e campos.), efectue a conversão para Microsoft SQL Server para optimizar o desempenho, redimensionamento, disponibilidade, segurança, fiabilidade e recuperação da base de dados e da aplicação.

MostrarDesempenho e redimensionamento elevados

Em muitos casos, o SQL Server oferece um melhor desempenho do que uma base de dados do Access. O SQL Server também proporciona o suporte para bases de dados de grandes dimensões, que podem ser de terabytes, que é um limite muito maior do que o actual de dois gigabytes para uma base de dados do Access. Por último, o SQL Server funciona com muita eficácia no Microsoft Windows 2000, processando consultas em paralelo (utilizando vários threads originais num único processo para processar pedidos do utilizador) e minimizando requisitos de memória adicionais quando são adicionados mais utilizadores.

MostrarDisponibilidade alargada

O SQL Server permite-lhe criar uma cópia de segurança dinâmica incrementada ou completa da base de dados durante a utilização da mesma. Consequentemente, não vai ter de forçar os utilizadores a sair da base de dados para criar uma cópia de segurança dos dados. Isto significa que a base de dados pode ser executada 24 horas por dia, sete dias por semana.

MostrarSegurança melhorada

Utilizando uma ligação fidedigna, o SQL Server pode integrar-se com o sistema de segurança do Windows 2000 para fornecer um acesso integrado à rede e à base de dados, utilizando o melhor dos dois sistemas de segurança. Deste modo, a gestão de esquemas de segurança complexos é facilitada. Uma base de dados do SQL Server colocada no servidor também utiliza funcionalidades de segurança inovadoras para ajudar a impedir que utilizadores não autorizados acedam directamente ao ficheiro da base de dados, tendo de aceder em primeiro lugar ao servidor.

MostrarRecuperabilidade imediata

Em caso de falha do sistema (tal como um erro no sistema operativo ou uma falha de energia), o SQL Server dispõe de um mecanismo de recuperação automática que recupera em poucos minutos uma base de dados até ao último estado de consistência, sem qualquer intervenção na base de dados por parte do administrador. As aplicações de alto risco podem ser recuperadas e executadas de novo.

MostrarProcessamento baseado no servidor

A Microsoft estruturou o SQL Server desde o início como uma base de dados cliente/servidor, onde os dados e os índices residem num computador com um único servidor, que é muitas vezes acedido através da rede por muitos computadores de clientes. O SQL Server reduz a sobrecarga da rede processando consultas de bases de dados no servidor, antes de enviar resultados ao cliente. Consequentemente, a aplicação cliente/servidor pode efectuar o processamento no melhor local, ou seja, no servidor.

A aplicação pode também utilizar funções definidas pelo utilizador (função definida pelo utilizador: consulta que recebe parâmetros de entrada e devolve um resultado como um procedimento armazenado. Tipos: escalar (com múltiplas instruções; devolve um valor), inline (uma instrução; valor de tabela actualizável) e tabela (com múltiplas instruções; valor de tabela).), procedimentos armazenados (procedimento armazenado: colecção previamente compilada de instruções SQL e de instruções de controlo de fluxo opcionais, armazenada com um determinado nome e processada como uma unidade. A colecção é armazenada numa base de dados SQL e pode ser executada através de uma chamada de uma aplicação.) e activadores (accionador: forma especial de um procedimento armazenado que é executado automaticamente quando os dados de uma tabela especificada são modificados. Os accionadores são frequentemente criados para impor a integridade referencial ou a consistência entre dados relacionados de forma lógica em tabelas diferentes.) para centralizar e partilhar a lógica da aplicação, regras e políticas comerciais, a validação de dados e o código da integridade referencial no servidor, em vez de o fazer no cliente.

MostrarAntes de actualizar uma base de dados do Access

Antes de converter a base de dados do Access (base de dados: conjunto de dados relacionados com um determinado assunto ou objectivo. Numa base de dados, as informações sobre uma determinada entidade como, por exemplo, um empregado ou uma encomenda, estão classificadas em tabelas, registos e campos.) para uma base de dados do SQL Server ou projecto do Access (projecto do Microsoft Access: ficheiro do Access que estabelece ligação com uma base de dados do Microsoft SQL Server e que é utilizado para criar aplicações cliente/servidor. Um ficheiro de projecto não contém quaisquer dados ou objectos baseados em definições de dados, tais como tabelas e vistas.), faça o seguinte:

  • Criar uma cópia de segurança da base de dados       Embora o Assistente de conversão não remova quaisquer dados ou objectos de base de dados da base de dados do Access, é melhor criar uma cópia de segurança da base de dados do Access antes de a converter.
  • Assegure-se de que tem espaço em disco suficiente       Tem de ter espaço suficiente no dispositivo que vai conter a base de dados convertida do SQL Server. O Assistente de conversão funciona melhor quando há muito espaço em disco disponível.

Para uma base de dados do SQL Server 7.0 ou posterior, o SQL Server amplia automaticamente a base de dados à medida que é criada.

Para uma base de dados do SQL Server 6.5, multiplique por dois o tamanho da base de dados do Access e reserve essa quantidade de espaço no disco. Isto assegura que o Assistente de conversão tenha espaço suficiente para converter a base de dados e permitir o crescimento da base de dados. Se pensa adicionar bastantes dados à base de dados, aumente o múltiplo.

  • Criar índices exclusivos       Uma tabela ligada tem de ter um índice exclusivo para ser actualizável no Microsoft Access. O Assistente de conversão pode converter um índice exclusivo existente, mas não pode criar um onde não exista qualquer índice exclusivo. Para poder actualizar as tabelas, certifique-se de que adiciona um índice exclusivo a cada tabela do Access antes de converter.
  • Predefinir uma impressora       Tem de predefinir uma impressora para utilizar o Assistente de conversão se desejar que crie automaticamente um snapshot de relatório (instantâneo de relatório: ficheiro (extensão .snp) que contém uma cópia de alta fidelidade de cada página de um relatório do Access. Preserva o esquema, gráficos e outros objectos incorporados bidimensionais do relatório.) do relatório do Assistente de conversão.
  • Atribuir permissões apropriadas na base de dados do Access       Tem de ter as permissões READ e DESIGN para todos os objectos da base de dados para os converter.
  • Atribuir permissões apropriadas na base de dados do SQL Server
    • Para converter uma base de dados existente, necessita das permissões CREATE TABLE e CREATE DEFAULT.
    • Para criar uma nova base de dados, necessita de ter a permissão CREATE DATABASE e as permissões SELECT nas tabelas de sistema existentes na base de dados principal.
    • Para criar novos dispositivos, tem de ser administrador do sistema.
  • Se desejar, crie vários dispositivos de discos       Se estiver a converter para uma base de dados do SQL Server versão 6.5, pode desejar criar dispositivos antes de executar o Assistente de conversão. O Assistente de conversão cria todos os novos dispositivos no mesmo disco rígido em que se encontra o dispositivo da base de dados principal. Se o servidor tiver vários discos, pode colocar a base de dados num disco e o ficheiro de registo de transacções noutro disco. Caso haja alguma falha no disco, a base de dados pode ser recuperada. Verifique em ambos os discos se os dispositivos são suficientemente grandes. Se necessário, crie novos dispositivos.

O SQL Server versão 6.5 também permite que as bases de dados e os registos de transacções abranjam vários dispositivos. No entanto, o Assistente de conversão apenas lhe permite especificar um dispositivo para a base de dados e outro para o ficheiro de registo de transacções. Para especificar vários dispositivos para uma base dados ou para um ficheiro de registo de transacções, predefina só esses dispositivos (e mais nenhuns). Em seguida, execute o Assistente de conversão e seleccione o dispositivo da base de dados ou do ficheiro de registo de transacções predefinido.

 Nota   Se o tamanho da nova base de dados do SQL Server ou o tamanho do ficheiro de registo de transacções não requerer a utilização de todos os dispositivos por predefinição, o SQL Server utiliza apenas os dispositivos necessários para receber a base de dados ou ficheiro de registo de transacções.

MostrarO relatório do Assistente de conversão

O Assistente de conversão cria um relatório que fornece uma descrição detalhada de todos os objectos criados e que regista os erros detectados durante o processo. O Assistente de conversão cria automaticamente este relatório como um snapshot de registo (instantâneo de relatório: ficheiro (extensão .snp) que contém uma cópia de alta fidelidade de cada página de um relatório do Access. Preserva o esquema, gráficos e outros objectos incorporados bidimensionais do relatório.) com o mesmo nome que a base de dados do Access (por exemplo, Adamastor.snp) e armazena-o na pasta da base de dados predefinida.

O relatório do Assistente de conversão para SQL contém informações sobre o seguinte:

MostrarModo como são convertidos os objectos de base de dados

Os seguintes dados e objectos da base de dados são convertidos: 

MostrarDados e tipos de dados

Para bases de dados SQL Server versão 7.0 ou posterior, o Assistente de conversão converte o texto da base de dados do Access para Unicode adicionando o identificador de cadeia Unicode a todos os valores de cadeia e adicionando o prefixo n de Unicode a todos os tipos de dados.

Todos os tipos de dados em bases de dados do Access são convertidas às equivalentes do SQL Server.

MostrarConsultas

Para bases de dados SQL Server 2000:

  • As consultas Selecção que não possuem uma cláusula ou parâmetros ORDER BY são convertidas em vistas.
  • As consultas Acção são convertidas em consultas Acção de procedimentos armazenados. O Access adiciona SET NOCOUNT ON depois do código da declaração de parâmetro para se certificar que o procedimento armazenado é executado.
  • As consultas que fazem referência a tabelas (também denominadas consultas de base) que utilizam parâmetros ou uma cláusula ORDER BY são convertidas em funções definidas pelo utilizador. Se necessário, a cláusula TOP 100 PERCENT é adicionada a uma consulta que contenha uma cláusula ORDER BY.
  • As consultas parametrizadas que utilizam parâmetros com nome mantêm o nome do texto original na base de dados do Access e são convertidas em procedimentos armazenados ou funções incorporadas definidas pelo utilizador.

Para bases de dados SQL server 7.0 e 6.5:

  • As consultas Selecção são convertidas em vistas.
  • As consultas ordenadas são convertidas numa combinação de vistas e de procedimentos armazenados para permitir o aninhamento e a ordenação (as vistas podem ser aninhadas mas não contêm cláusulas ORDER BY; os procedimentos armazenados podem conter cláusulas ORDER BY mas não podem ser aninhados).
  • As consultas parametrizadas, consultas que dependem de uma consulta parametrizada, e as consultas de acção são convertidas em procedimentos armazenados.

 Nota   Para bases de dados SQL Server, pode ser necessário converter manualmente as consultas que não foram convertidas como, por exemplo, as consultas SQL de Pass-through, consultas de definição de dados e consultas cruzadas. Pode ter também de converter manualmente as consultas que foram demasiado aninhadas.

MostrarFormulários, relatórios e controlos

Em todas as bases de dados SQL Server, as instruções SQL nas propriedades OrigemDosRegistos, ControlsSource e OrigemDaLinha em formulários, relatórios ou controlos são mantidas e não são convertidas num procedimento armazenado ou função definida pelo utilizador. 

MostrarPáginas de acesso a dados

O Assistente de conversão altera a ligação OLE DB e as informações de ligação de dados do controlo de origem de dados do Microsoft Office para trabalhar com a nova base de dados do SQL server e copia o ficheiro HTML correspondente da página para a mesma localização do projecto do Access, acrescentando o sufixo "_CS" ao ficheiro HTML. As novas páginas do projecto do Access mantêm o nome original, de modo a não interromper as hiperligações entre as páginas do projecto do Access.

MostrarBarras de comandos personalizadas e propriedades de arranque

Em todas as versões SQL Server, o Assistente de conversão converte qualquer barra de comandos personalizada assim como as propriedades de arranque seguintes:

StartUpShowDBWindow
StartUpShowStatusBar
AllowShortcutMenus
AllowFullMenus
AllowBuiltInToolbars
AllowToolbarChanges
AllowSpecialKeys
UseAppIconForFrmRpt
AppIcon
AppTitle
StartUpForm
StartUpMenuBar
StartupShortcutMenuBar

MostrarMódulos e macros

O Assistente de Conversão não altera os módulos e as macros. A estruturação e a criação de uma aplicação cliente/servidor optimizada é diferente da estruturação e criação de uma aplicação de servidor de ficheiros optimizada. Portanto, é provável que tenha de actualizar a aplicação para tirar o maior partido do SQL Server e de um projecto do Access. Depois de converter, é necessário converter manualmente o código que utilize conjuntos de registos de Objecto de acesso a dados (DAO) (objectos de acesso a dados (DAO): interface de acesso a dados que comunica com origens de dados compatíveis com o Microsoft Jet e ODBC para ligar, obter, manipular e actualizar dados e a estrutura da base de dados.) em ActiveX Data Objects (ADO) (ActiveX Data Objects (ADO): interface de acesso a dados que comunica com origens de dados compatíveis com OLE BD para ligar, obter, manipular e actualizar dados.) nos módulos. Também deve rever qualquer código de estrutura de tabelas e consultas (o Assistente de Conversão não converte uma linguagem de definição de dados SQL). Para obter mais informações sobre o desenvolvimento de aplicações de cliente servidor optimizadas, consulte o Manual de programador do Microsoft Office XP

MostrarEscolher a conversão para uma base de dados existente ou uma nova base de dados

MostrarUtilizar uma tabela existente

Se seleccionar Utilizar uma base de dados existente, o Microsoft Access apresenta a caixa de diálogo Seleccionar origem de dados ODBC para que possa criar uma ligação ODBC (origem de dados ODBC: os dados e as informações necessárias para aceder a esses dados a partir de programas e bases de dados que suportem o protocolo de interligação de bases de dados abertas (ODBC, Open Database Connectivity).) à base de dados do Microsoft SQL Server existente. Para mais informações sobre origens de registo ODBC, prima Ajuda.

MostrarCriar uma nova base de dados

Se seleccionar Criar nova base de dados, o Microsoft Access apresenta o Assistente de base de dados do Microsoft SQL Server. Siga as instruções do Assistente de base de dados do SQL Server.

Que servidor SQL deseja utilizar para esta base de dados?       Escreva o nome do servidor que deseja utilizar.

Utilizar ligação fidedigna       Pode utilizar uma ligação fidedigna, ou seja, o SQL Server integra-se com a segurança do sistema operativo Windows 2000 para fornecer um único ficheiro de registo na rede e na base de dados.

ID de início de sessão e palavra-passe        Se não utilizar uma ligação fidedigna, escreva a ID de início de sessão e palavra-passe de uma conta com privilégios CREATE DATABASE no servidor.

Que nome deseja atribuir à nova base de dados do SQL Server?       Escreva o nome da nova base de dados do SQL Server. O Access verifica se o nome entra em conflito com um nome de base de dados existente e adiciona um sufixo numerado (minhabasededados 1, por exemplo).

MostrarAcerca das origens de dados ODBC

O acesso a uma origem de dados ODBC (origem de dados ODBC: os dados e as informações necessárias para aceder a esses dados a partir de programas e bases de dados que suportem o protocolo de interligação de bases de dados abertas (ODBC, Open Database Connectivity).) -por exemplo, uma base de dados e o servidor em que reside - é efectuado através de um controlador Open Database Connectivity (Interligação de bases de dados abertas (ODBC): método padrão de partilhar dados entre bases de dados e programas. Os controladores ODBC utilizam a linguagem SQL (Structured Query Language) padrão para obter acesso a dados externos.) (ODBC).

MostrarO que é uma origem de dados?

Uma origem de dados, tal como o nome indica, é uma origem de dados e informações sobre as ligações necessárias para aceder a esses dados. O Microsoft Access, o Microsoft SQL Server, o Oracle RDBMS, uma folha de cálculo e um ficheiro de texto são exemplos de origem de dados. A localização do servidor, o nome da base de dados, a identificação de início de sessão, a palavra-passe e as várias opções do controlador ODBC que descrevem como efectuar uma ligação à origem de dados, são exemplos de informações sobre a ligação.

Na arquitectura ODBC, uma aplicação (tal como o Access ou um programa do Microsoft Visual Basic) efectua uma ligação ao gestor do controlador ODBC que, por sua vez, utiliza um controlador ODBC específico (por exemplo, o controlador Microsoft SQL ODBC) para ligar a uma origem de dados (neste caso, uma base de dados do Microsoft SQL Server (base de dados SQL: base de dados baseada em linguagem de consulta estruturada (SQL, Structured Query Language).)). No Access, são utilizadas origens de dados ODBC para ligar a dados externos ao Access que não têm controladores incorporados.

Para ligar a estas origens de dados, tem de executar os seguintes passos:

  • Instalar o controlador ODBC adequado no computador que contém a origem de dados.
  • Definir um nome de origem de dados (DSN) utilizando o Administrador de origens de dados ODBC para armazenar as informações sobre a ligação no registo do Microsoft Windows ou num ficheiro DSN ou numa cadeia de ligação em código do Visual Basic para passar directamente para o gestor do controlador ODBC as informações sobre a ligação.

MostrarOrigem de dados de computador

As origens de dados de computador armazenam informações sobre a ligação no registo do Windows de um computador específico, com um nome definido pelo utilizador. Pode utilizar as origens de dados de um computador apenas no computador em que estão definidas. Existem dois tipos de origens de dados de computador, de utilizador e de sistema. As origens de dados de utilizador só podem ser utilizadas pelo utilizador actual e são visíveis apenas para esse utilizador. As origens de dados do sistema podem ser utilizadas por todos os utilizadores de um computador e são visíveis para todos os utilizadores e para todos os serviços de sistema. Uma origem de dados de computador é especialmente útil quando se pretende mais segurança, porque apenas os utilizadores que tiverem iniciado sessão nesse computador podem visualizar essa origem de dados e não pode ser copiada por um utilizador remoto para outro computador.

MostrarOrigens de dados de ficheiros

As origens de dados de ficheiros (também designados por ficheiros DSN) armazenam informações sobre a ligação num ficheiro de texto, não no Registo do Windows e a sua utilização é geralmente mais flexível do que a utilização das origens de dados de computador. Pode, por exemplo, copiar uma origem de dados de ficheiros para qualquer computador com o controlador ODBC correcto, de modo que a aplicação possa contar com informações consistentes e precisas sobre a ligação em todos os computadores utilizados. Ou pode colocar a origem de dados de ficheiros num único servidor, partilhá-la entre muitos computadores na rede e manter facilmente as informações numa única localização.

Uma origem de dados de ficheiros pode não ser partilhável. Uma origem de dados de ficheiros não partilhável reside num único computador e aponta para uma origem de dados de computador. Pode utilizar origens de dados de ficheiros não partilháveis para aceder a origens de dados de computador a partir de origens de dados de ficheiros.

MostrarCadeias de ligação

Se é programador, pode definir, utilizando o código do Microsoft Visual Basic, uma cadeia de ligação formatada que especifique as informações sobre a ligação. Utilizar uma cadeia de ligação evita a definição de uma origem de dados de computador ou de ficheiro DSN e passa as informações sobre a ligação directamente para o gestor do controlador ODBC. Isto é útil, por exemplo, quando pretende evitar a intervenção de administradores de sistema ou de utilizadores para criar um DSN ou para simplificar a instalação da aplicação. Para ajudar a proteger as informações da cadeia de ligação no código, empregue métodos de segurança para o código, utilizando um ficheiro MDE ou uma palavra-passe.

MostrarIntroduzir base de dados, registos de rastreio e os tamanhos numa base de dados do Microsoft SQL Server versão 6.5

Se escolher criar uma nova base de dados do Microsoft SQL Server 6.5, o Assistente de conversão pede-lhe para introduzir dispositivos e os tamanhos da base de dados e do registo de transacções. Também lhe pede para introduzir um tamanho pré-alocado para a base de dados e para as transacções.

MostrarIntroduzir um dispositivo e o tamanho da base de dados

Todas as bases de dados e registos de transacções do Microsoft SQL Server são colocados em dispositivos. Um dispositivo é, em simultâneo, um ficheiro físico e uma localização lógica para bases de dados e registos de transacções. Quando cria um dispositivo, o SQL Server cria um ficheiro e reserva para si uma parte do espaço em disco.

Se for um administrador de sistema, o Assistente de conversão apresenta a quantidade de espaço livre nos dispositivos existentes. Seleccione um dispositivo que tenha, pelo menos, espaço suficiente em disco para o tamanho calculado da base de dados.

Se nenhum dos dispositivos existentes tiver espaço livre suficiente, tem de criar um novo dispositivo com o Assistente de conversão. Os novos dispositivos devem ter, pelo menos, o tamanho calculado para a base de dados. Se possível, faça o dispositivo maior do que base de dados, para que, posteriormente, a possa expandir ou possa colocar outras bases de dados ou registos de transacções no mesmo dispositivo.

MostrarIntroduzir um dispositivo de registo de transacções e o tamanho

O registo de transacções é um registo cronológico de toda a actividade ocorrida no servidor, que o SQL Server utiliza para a cópia de segurança e para a recuperação da base de dados.

O dispositivo de registo de transacções seleccionado tem de ter, pelo menos, um megabyte de espaço livre. A base de dados e o registo de transacções correspondente devem ser colocados em dispositivos localizados em discos rígidos diferentes. Estes dispositivos têm de ser criados antes de iniciar o Assistente de conversão, porque este cria todos os novos dispositivos no mesmo disco rígido em que se encontra o dispositivo da base de dados principal.

Se tem apenas um disco rígido, deve colocar a base de dados e o respectivo registo de transacções em dispositivos separados, de forma a que o registo esteja disponível, mesmo que a base de dados tenha problemas.

O Assistente de conversão cria o registo de transacções, utilizando o tamanho especificado. O tamanho do registo de transacções deve ter, pelo menos, o tamanho de todas as tabelas convertidas na base de dados. O tamanho especificado não pode ultrapassar o espaço livre no dispositivo de registo de transacções seleccionado.

 Nota   Para novas bases de dados, o Assistente de conversão trunca o ficheiro de registo de transacções no ponto de verificação se ultrapassar o espaço livre antes de a conversão estar terminada. Contudo, é possível que o registo de transacções ultrapasse uma só tabela. Se tal acontecer, o Microsoft Access não converte a tabela e escreve o erro no relatório do Assistente de conversão.

MostrarIntroduzir o tamanho da base de dados e do registo de transacções

Quando o SQL Server 6.5 cria uma base de dados, reserva uma determinada quantidade de espaço livre para a base de dados num ou em mais dispositivos. Nem todo o espaço tem necessariamente de ser utilizado de imediato pela base de dados. O tamanho da base de dados corresponde ao tamanho máximo que uma base de dados pode atingir antes de exceder o espaço.

Para calcular o espaço necessário para a base de dados, verifique o tamanho da base de dados do Access e calcule a percentagem que a nova base de dados de SQL Server deve atingir. Por norma, cada megabyte do Microsoft Access corresponde a, pelo menos, 1.3 ou 1.5 megabytes no SQL Server. Lembre-se de que um ficheiro de uma base de dados(.mdb) do Access inclui todos os objectos de base de dados do Access e não apenas dados.

Se tiver bastante espaço livre no servidor, multiplique o tamanho da base de dados do Access por dois. Isto assegura que o Assistente de conversão tenha espaço suficiente para converter a base de dados e permitir o crescimento da base de dados. Se pensa adicionar bastantes dados à base de dados, aumente o múltiplo.

O tamanho do registo de transacções deve ter cerca de 25% do tamanho da base de dados.

MostrarEscolher as tabelas a converter

Pode seleccionar as tabelas da base de dados do Microsoft Access (base de dados do Microsoft Access: conjunto de dados e objectos (como, por exemplo, tabelas, consultas ou formulários) relacionado com um determinado tópico ou objectivo.) que deseja converter para uma base de dados do Microsoft SQL Server.

MostrarTabelas disponíveis/Exportar para o servidor SQL

A caixa de listagem Tabelas disponíveis exclui todas as tabelas ligadas excepto as tabelas do SQL Server já existentes numa base de dados do SQL Server. As tabelas ligadas que referenciam uma base de dados do SQL Server seleccionada para conversão aparecem automaticamente na caixa de listagem Exportar para o servidor SQL e não podem ser eliminadas. Todas as tabelas cujos nomes terminam em "_local" são excluídas da lista de tabelas disponíveis para evitar a conversão de tabelas que já foram convertidas. Se realmente quiser voltar a converter estas tabelas, atribua-lhes um novo nome antes de executar o Assistente de conversão, eliminando o sufixo "_local". As tabelas que não estão visíveis na janela Base de dados (janela de Base de Dados: no Access 2003 e versões anteriores, corresponde a uma janela apresentada quando se abre uma base de dados ou um projecto. A janela apresenta atalhos para a criação de novos objectos da base de dados e abertura de objectos existentes. Em versões posteriores, foi substituída pelo Painel de Navegação) também são excluídas, incluindo as tabelas ocultas e as tabelas de sistema.

MostrarPorque é que as consultas aliasing podem ser criadas na base de dados do Access

Se decidir ligar tabelas do SQL Server à base de dados do Access, o Assistente de conversão pode criar uma consulta aliasing para lidar com as diferenças de nome existentes entre o Access e o SQL Server, versão 6.5, que não permite espaços nem caracteres especiais nos nomes de campos, para além do cardinal (#), do cifrão ($) e do carácter de sublinhado (_). O Assistente de conversão substitui automaticamente os espaços e os caracteres não admitidos pelo carácter "_". Se os nomes de campo forem alterados durante a conversão de uma tabela, o Assistente de conversão atribui o sufixo "_remoto" à tabela ligada (por exemplo, Funcionários_remoto) e atribui um novo nome à tabela original, adicionando o sufixo "_local" (por exemplo, Funcionários_local). O Assistente de conversão cria, em seguida, uma consulta aliasing com o nome Funcionários, para que os formulários, os relatórios e as consultas continuem a funcionar correctamente na nova tabela ligada de servidor SQL.

MostrarO efeito da integridade referencial declarativa (DRI) em conversão de tabelas

Se tiver seleccionado anteriormente a integridade referencial, declarativa (DRI) para converter tabelas, a DRI não permite que substitua as tabelas relacionadas anteriormente convertidas. Pode largar uma base de dados do SQL Server utilizando o comando Largar base de dados SQL (menu Ferramentas, submenu Utilitários de base de dados) no SQL Server 2000 Desktop Engine ou utilizando o SQL Server's Enterprise Manager e, em seguida, convertendo novamente a base de dados do Access. Se quiser voltar a converter apenas algumas tabelas, tem de eliminar essas tabelas assim como todas as outras tabelas com as quais estejam relacionadas, para iniciar a tabela "muitos" numa relação de um para muitos (relação um-para-muitos: associação entre duas tabelas em que o valor da chave primária de cada registo da tabela primária corresponde ao valor de vários registos no campo ou campos correspondentes da tabela relacionada.) (uma tabela sem referências à respectiva chave primária de outra tabela) e, em seguida, voltar a converter todo o conjunto de tabelas. O Assistente de conversão apenas pode estabelecer relações DRI entre tabelas relacionadas que sejam convertidas ao mesmo tempo, não estabelecendo relação entre essas tabelas e as tabelas já existentes no servidor.

MostrarEscolher os atributos de tabela a converter

Pode seleccionar os atributos de tabela a converter para a base de dados do Microsoft SQL Server. No mínimo, o Assistente de conversão converte os nomes dos campos do Microsoft Access em nomes dos campos do SQL Server legais e converte os tipos de dados do Access em tipos de dados do SQL Server equivalentes. Por predefinição, são seleccionados todos os atributos para a conversão.

MostrarQuais são os atributos das tabelas que deseja converter?

MostrarÍndices

Se seleccionar a caixa de verificação Índices, o Assistente de conversão converte todos os índices.

O Assistente de conversão converte as chaves primárias do Microsoft Access em índices exclusivos, não agrupados do Microsoft SQL Server e assinala-os como chaves primárias de SQL Server. Se decidir ligar a tabela de SQL Server convertida à base de dados do Access, o Assistente de conversão também adiciona o prefixo "aaaaa". O Microsoft Access escolhe o índice que se encontra em primeiro lugar, por ordem alfabética, da lista de índices disponíveis como a chave primária e o prefixo "aaaaa" assegura que é escolhido o índice certo.

Todos os outros índices mantêm os mesmos nomes, excepto quando os caracteres ilegais são substituídos pelo carácter "_". Os índices exclusivos e não exclusivos do Microsoft Access tornam-se índices exclusivos e não exclusivos do SQL Server. Lembre-se que o SQL Server não suporta índices ascendentes ou descendentes.

As tabelas ligadas têm de ter um índice exclusivo que possa ser actualizado no Microsoft Access. O Assistente de conversão pode converter um índice exclusivo existente, mas não pode criar um onde não exista qualquer índice exclusivo. Para poder actualizar as tabelas, certifique-se de que adiciona um índice exclusivo a cada tabela do Access antes de converter.

MostrarRegras de validação

Regras de validação

Se seleccionar a caixa de verificação Regras de validação, o Assistente de conversão converte todas as tabelas, registos e regras de validação de campo, bem como as propriedades do campo Necessário como actualizadas e insere activadores (accionador: forma especial de um procedimento armazenado que é executado automaticamente quando os dados de uma tabela especificada são modificados. Os accionadores são frequentemente criados para impor a integridade referencial ou a consistência entre dados relacionados de forma lógica em tabelas diferentes.).

Um activador consiste numa série de instruções de Transact-SQL associadas a uma tabela de SQL Server. As tabelas podem ter três activadores, um para cada comando passível de alterar dados numa tabela: os comandos ACTUALIZAR, INSERIR e ELIMINAR. O activador é automaticamente executado quando é efectuado um comando. O Assistente de conversão utiliza activadores e não regras de SQL Server para efectuar a validação de nível de campo pois as regras de SQL Server não permitem a apresentação de mensagens de erro personalizadas.

Cada regra de validação não tem obrigatoriamente uma relação de um-para-um com o activador. Cada regra de validação pode ser parte de vários activadores e cada activador pode conter código para emular a funcionalidade de várias regras de validação.

Quando define a propriedade Necessário de um campo do Microsoft Access como verdadeira, os utilizadores não podem inserir um registo nem deixar o campo necessário em branco (se não houver nenhuma ligação predefinida ao campo) nem tornar o campo nulo ao actualizar o registo. Required fields are upsized to fields that don't allow Nulo (Null: valor que pode ser introduzido num campo ou utilizado em expressões ou consultas para indicar dados em falta ou desconhecidos. No Visual Basic, a palavra-chave Null indica um valor nulo (Null). Alguns campos, tais como campos de chave primária, não podem conter um valor Null.) values on SQL Server.

Validation text

Para bases de dados do SQL Server 2000, a propriedade Texto de validação da base de dados do Access é convertida para a propriedade Texto de validação do projecto do Access. Isto activa as mensagens de erro amigáveis do Access a serem apresentadas no evento de uma violação de restrição em tempo de execução.

Para bases de dados do SQL Server 7.0 e 6.5, o Assistente de conversão cria um fragmento do código Transact-SQL que apresenta uma mensagem semelhante à que o Microsoft Access apresenta se o campo for nulo quando um registo é adicionado ou actualizado.

MostrarDefaults

MostrarRelações de tabelas

You can decide how to upsize table relationships and referential integrity by using update, insert, or delete triggers, or by using Declared Referential Integrity (DRI). A DRI funciona da mesma forma que a integridade referencial do Microsoft Access, definindo restrições de chave primária para tabelas base (o lado "um" de uma relação de um-para-um) e restrições de chave externa para tabelas externas (por norma, os "muitos" lados de uma relação de um-para-muitos).

  • Use triggers       If your Microsoft Access table relationships have cascading updates or deletes defined, you may want to preserve this behavior in upsized tables. Para o fazer, seleccione a caixa de verificação Relações da tabela e utilize o botão de rádio Utilizar activadores para converter quaisquer actualizações ou eliminações em cascata em activadores para impor a integridade referencial.

Uma tabela de relação não tem necessariamente de ter uma correspondência de um-para-um com um activador. Cada relação pode integrar vários activadores ou cada activador pode conter código para emular a funcionalidade de várias regras de integridade referencial. Os activadores inseridos são utilizados em tabelas subordinadas e eliminam activadores de tabelas principais.

 Nota   Access requires DRI to read the database diagram (diagrama de base de dados: representação gráfica de qualquer parte de um esquema de base de dados. Pode ser toda ou parte de uma imagem da estrutura da base de dados. Inclui tabelas, as respectivas colunas e as relações entre as tabelas.) of an SQL Server database. Para permitir que o Access leia o diagrama de base de dados, enquanto estiver a impor a integridade referencial através de activadores, o Assistente de conversão substitui a DRI nas relações, mas desactiva a verificação das restrições de chave externa.

  • Use DRI       Select the Table relationships check box and Use DRI radio button, to use DRI to enforce referential integrity. O Assistente de conversão tem um desempenho diferente, consoante a versão do SQL Server em que está a converter.

Base de dados SQL Server 2000     Se seleccionar Utilizar DRI, a validação de colunas da base de dados do Access será convertida numa limitação de verificação de DRI do SQL Server com uma mensagem de validação como a apresentada na tabela seguinte.

Relações da base de dados do Access Chave externa do SQL Server Texto de validação
Actualização em cascata ON DELETE NO ACTION ON UPDATE CASCADE "The record cannot be deleted because the table <foreigntable> includes related records."
Eliminação em cascata ON DELETE CASCADE ON UPDATE NO ACTION "You cannot add or change a record because a related record is required in table <primarytable>."
Actualização em cascata
e eliminação em cascata
ON DELETE CASCADE ON UPDATE CASCADE O valor não está definido.
Sem DRI ON DELETE NO ACTION ON UPDATE NO ACTION You cannot add, change, or delete this record because of the relationship restriction between the tables <primarytable> and <foreigntable>.

SQL Server version 7.0 and 6.5 databases       These databases do not support cascading update or deletes. A base de dados do Access pode não ter actualizações e eliminações em cascata definidas ou não se importa se perder essas funcionalidades na base de dados convertida. O Assistente de conversão avisa-o de que vai perder a funcionalidade de actualização e de eliminação em cascata.

MostrarQue opções de dados deseja incluir?

MostrarAdicionar campos de marca de hora às tabelas

Microsoft SQL Server uses a timestamp field to indicate that a record was changed (but not when it was changed) by creating a unique value field and then updating this field whenever a record is updated. No caso de uma tabela ligada, o Access utiliza o valor dos campos de hora para determinar se um registo foi alterado antes de o actualizar. Normalmente, um campo de hora proporciona o melhor desempenho e fiabilidade. Sem um campo de hora, o SQL Server tem de verificar todos os campos do registo para determinar se o registo foi alterado, o que torna o desempenho mais lento.

 Nota   In linked SQL Server tables, Microsoft Access doesn't check to determine if Memo or OLE object fields have changed because these fields could be many megabytes in size and the comparison could be too network-intensive and time-consuming. Por conseguinte, se apenas foi alterado um campo de texto ou de imagem e não existir qualquer campo de hora, o Microsoft Access substitui a alteração. Para além disso, o valor de campo de vírgula flutuante pode parecer que foi alterado quando não o foi, por isso na falta de um campo de hora, o Microsoft Access pode determinar que esse registo foi alterado quando não foi.

MostrarCriar apenas a estrutura da tabela, não converter quaisquer dados

O Assistente de conversão converte, por predefinição, todos os dados para o SQL Server. Se seleccionar a caixa de verificação Só criar estrutura de tabela, não converter dados só a estrutura de dados é convertida.

MostrarEscolher o modo de conversão da aplicação

Pode seleccionar diferentes formas de converter a aplicação da base de dados do Microsoft Access (base de dados do Microsoft Access: conjunto de dados e objectos (como, por exemplo, tabelas, consultas ou formulários) relacionado com um determinado tópico ou objectivo.).

MostrarQue alterações deseja efectuar à aplicação?

MostrarCriar uma nova aplicação cliente servidor do Access

Se seleccionar Criar uma nova aplicação de cliente servidor do Access, o Assistente de conversão cria um novo projecto do Microsoft (projecto do Microsoft Access: ficheiro do Access que estabelece ligação com uma base de dados do Microsoft SQL Server e que é utilizado para criar aplicações cliente/servidor. Um ficheiro de projecto não contém quaisquer dados ou objectos baseados em definições de dados, tais como tabelas e vistas.). O Assistente de conversão pede-lhe um nome, que vai servir como predefinição para o nome da actual base de dados do Access, adiciona um sufixo "CS" e, em seguida, guarda o projecto no mesmo local em que se encontra a base de dados do Access existente.

O Assistente de conversão cria o ficheiro de projecto do Access e, em seguida, actualiza todos os objectos da base de dados no projecto do Access a partir da base de dados. Se não guardar a palavra-passe e ID de utilizador, a primeira vez que abrir o projecto do Access, surge a caixa de diálogo Propriedades de ligação de dados para que possa ligar a uma base de dados do SQL Server.

MostrarModo como são convertidos os objectos de base de dados

Os seguintes dados e objectos da base de dados são convertidos: 

MostrarDados e tipos de dados

Para bases de dados SQL Server versão 7.0 ou posterior, o Assistente de conversão converte o texto da base de dados do Access para Unicode adicionando o identificador de cadeia Unicode a todos os valores de cadeia e adicionando o prefixo n de Unicode a todos os tipos de dados.

Todos os tipos de dados em bases de dados do Access são convertidas às equivalentes do SQL Server.

MostrarConsultas

Para bases de dados SQL Server 2000:

  • As consultas Selecção que não possuem uma cláusula ou parâmetros ORDER BY são convertidas em vistas.
  • As consultas Acção são convertidas em consultas Acção de procedimentos armazenados. O Access adiciona SET NOCOUNT ON depois do código da declaração de parâmetro para se certificar que o procedimento armazenado é executado.
  • As consultas que fazem referência a tabelas (também denominadas consultas de base) que utilizam parâmetros ou uma cláusula ORDER BY são convertidas em funções definidas pelo utilizador. Se necessário, a cláusula TOP 100 PERCENT é adicionada a uma consulta que contenha uma cláusula ORDER BY.
  • As consultas parametrizadas que utilizam parâmetros com nome mantêm o nome do texto original na base de dados do Access e são convertidas em procedimentos armazenados ou funções incorporadas definidas pelo utilizador.

Para bases de dados SQL server 7.0 e 6.5:

  • As consultas Selecção são convertidas em vistas.
  • As consultas ordenadas são convertidas numa combinação de vistas e de procedimentos armazenados para permitir o aninhamento e a ordenação (as vistas podem ser aninhadas mas não contêm cláusulas ORDER BY; os procedimentos armazenados podem conter cláusulas ORDER BY mas não podem ser aninhados).
  • As consultas parametrizadas, consultas que dependem de uma consulta parametrizada, e as consultas de acção são convertidas em procedimentos armazenados.

 Nota   Para bases de dados SQL Server, pode ser necessário converter manualmente as consultas que não foram convertidas como, por exemplo, as consultas SQL de Pass-through, consultas de definição de dados e consultas cruzadas. Pode ter também de converter manualmente as consultas que foram demasiado aninhadas.

MostrarFormulários, relatórios e controlos

Em todas as bases de dados SQL Server, as instruções SQL nas propriedades OrigemDosRegistos, ControlsSource e OrigemDaLinha em formulários, relatórios ou controlos são mantidas e não são convertidas num procedimento armazenado ou função definida pelo utilizador. 

MostrarPáginas de acesso a dados

O Assistente de conversão altera a ligação OLE DB e as informações de ligação de dados do controlo de origem de dados do Microsoft Office para trabalhar com a nova base de dados do SQL server e copia o ficheiro HTML correspondente da página para a mesma localização do projecto do Access, acrescentando o sufixo "_CS" ao ficheiro HTML. As novas páginas do projecto do Access mantêm o nome original, de modo a não interromper as hiperligações entre as páginas do projecto do Access.

MostrarBarras de comandos personalizadas e propriedades de arranque

Em todas as versões SQL Server, o Assistente de conversão converte qualquer barra de comandos personalizada assim como as propriedades de arranque seguintes:

StartUpShowDBWindow
StartUpShowStatusBar
AllowShortcutMenus
AllowFullMenus
AllowBuiltInToolbars
AllowToolbarChanges
AllowSpecialKeys
UseAppIconForFrmRpt
AppIcon
AppTitle
StartUpForm
StartUpMenuBar
StartupShortcutMenuBar

MostrarMódulos e macros

O Assistente de Conversão não altera os módulos e as macros. A estruturação e a criação de uma aplicação cliente/servidor optimizada é diferente da estruturação e criação de uma aplicação de servidor de ficheiros optimizada. Portanto, é provável que tenha de actualizar a aplicação para tirar o maior partido do SQL Server e de um projecto do Access. Depois de converter, é necessário converter manualmente o código que utilize conjuntos de registos de Objecto de acesso a dados (DAO) (objectos de acesso a dados (DAO): interface de acesso a dados que comunica com origens de dados compatíveis com o Microsoft Jet e ODBC para ligar, obter, manipular e actualizar dados e a estrutura da base de dados.) em ActiveX Data Objects (ADO) (ActiveX Data Objects (ADO): interface de acesso a dados que comunica com origens de dados compatíveis com OLE BD para ligar, obter, manipular e actualizar dados.) nos módulos. Também deve rever qualquer código de estrutura de tabelas e consultas (o Assistente de Conversão não converte uma linguagem de definição de dados SQL). Para obter mais informações sobre o desenvolvimento de aplicações de cliente servidor optimizadas, consulte o Manual de programador do Microsoft Office XP

MostrarLigar tabelas de servidor SQL à aplicação existente.

Se seleccionar Ligar tabelas de servidor SQL à aplicação existente, o Assistente de conversão pode alterar a base de dados do Access de modo a que as consultas, os formulários, os relatórios e as páginas de acesso a dados utilizem os dados da nova base de dados do Microsoft SQL Server e não os dados da base de dados do Microsoft Access.

O Assistente de conversão atribui um novo nome às tabelas do Microsoft Access que reconverter com o sufixo "_local". Por exemplo, se reconverter uma tabela com o nome Funcionários, a tabela recebe o nome Funcionários_local na base de dados do Access. Em seguida, o Assistente de conversão cria uma tabela ligada de servidor SQL chamada Funcionários.

As consultas, os formulários, os relatórios e as páginas de acesso a dados baseados nas tabelas Funcionários originais passarão a utilizar a tabela ligada do servidor SQL Funcionários. Muitas das propriedades dos campos da tabela local original são herdadas pela nova tabela local, incluindo Descrição, Legendas, Formato, MáscaraDeEntrada e CasasDecimais.

MostrarNenhumas alterações à aplicação

Seleccione Nenhumas alterações à aplicação se apenas quiser converter os dados e não quiser alterar a aplicação de base de dados do Access.

MostrarGuardar palavra-passe e ID de utilizador

Por predefinição, o Assistente de conversão cria tabelas ligadas na aplicação existente ou cria um projecto de Access sem guardar o nome do utilizador nem a palavra-passe. O que significa que os utilizadores terão que introduzir o nome de utilizador e a palavra-passe sempre que iniciarem uma base de dados do SQL Server.

Ao seleccionar Guardar palavra-passe e ID de utilizador, os utilizadores podem aceder a uma base de dados do SQL Server sem se registarem. Se seleccionar Criar nova aplicação de cliente servidor do Access, o projecto do Access guarda a palavra-passe do nome de utilizador na cadeia de ligação OLE DB.

 Nota   Esta opção está desactivada na opção Nenhumas aplicações à alteração se a tabela ligada de servidor SQL estiver configurada com uma tabela MSysConf que impeça as palavras-passe de serem guardadas.

MostrarResolução de problemas relacionados com o Assistente de conversão para SQL Server

 Nota   O Assistente de conversão cria um relatório que fornece uma descrição detalhada de todos os objectos criados e que regista os erros detectados durante o processo. O Assistente de conversão cria automaticamente este relatório como um snapshot de registo (instantâneo de relatório: ficheiro (extensão .snp) que contém uma cópia de alta fidelidade de cada página de um relatório do Access. Preserva o esquema, gráficos e outros objectos incorporados bidimensionais do relatório.) com o mesmo nome que a base de dados do Access (por exemplo, Adamastor.snp) e armazena-o na pasta da base de dados predefinida.

MostrarNão consigo localizar o formulário de gestão de painéis de navegação.

O Assistente de conversão não converte um formulário de gestão de painéis de navegação. O Gestor de painéis de navegação utiliza uma tabela para armazenar informações sobre o formulário e não é criado para um ambiente cliente-servidor.

MostrarNão consigo converter o ficheiro MDE.

Quando guardar uma base de dados do Microsoft Access como um ficheiro MDE, todos os módulos e códigos de origem da base de dados são compilados e removidos. O código do Visual Basic for Applications vai continuar a ser executado, mas não consegue vê-lo nem editá-lo. Se executar as ferramentas de conversão com a opção Criar uma nova aplicação cliente/servidor do Access, o Assistente de conversão tem de ter acesso aos objectos que foram removidos quando guardou a base de dados como um ficheiro MDE.

Pode seleccionar as opções Não foram alteradas nenhumas aplicações ou Ligar as tabelas do SQL Server a uma aplicação existente quando converter um ficheiro MDE, mas se pretender criar uma aplicação cliente/servidor, tem de utilizar a base de dados original do Access (.mdb) a partir da qual o ficheiro MDE foi criado.

MostrarO código DDE não funciona no meu projecto do Access

O código DDE (Intercâmbio dinâmico de dados (DDE): protocolo estabelecido para troca de dados entre programas baseados no Microsoft Windows.) não é suportado num projecto do Access. Se converter uma base de dados do Access para um projecto do Access, tem de converter o código DDE para o código ADO.

MostrarA tabela convertida não tem registos.

Existe um campo da tabela na base de dados do Access que pode conter um valor nulo para mais do que um registo, mas a propriedade Indexado está definida para Sim (duplicação não autorizada) e a propriedade Requerido está definida para Não. Se um campo da tabela estiver indexado e utilizar estas definições de propriedades, não adicione mais do que um registo que contenha um valor nulo para a coluna.

Remova os registos com os valores nulo e, em seguida, converta a tabela novamente.

MostrarFiquei sem espaço no disco e a base de dados do SQL Server não foi totalmente convertida.

Se o Assistente de conversão já não tiver espaço no disco do servidor, o assistente pára, deixando uma base de dados parcial e os dispositivos que criou no servidor. Se isto acontecer, pode largar as bases de dados utilizando o comando Drop Database (menu Ferramentas, submenu Utilitários da base de dados) no SQL Server 2000 Desktop Engine ou utilizando o   SQL Server Enterprise Manager. Para mais informações sobre o SQL Server Enterprise Manager, consulte a documentação do SQL Server.

MostrarSurgem problemas ao aceder ou criar objectos da base de dados

Pode não ter as permissões adequadas. Necessita da permissão ler/estruturar para todos os objectos da base de dados do Access de modo a poder convertê-los. Necessita das seguintes permissões numa base de dados do SQL Server:

  • Para converter uma base de dados existente, necessita das permissões CREATE TABLE e CREATE DEFAULT.
  • Para criar uma nova base de dados, necessita da permissão CREATE DATABASE e das permissões SELECT para as tabelas de sistema existentes na base de dados principal.
  • Para criar novos dispositivos, tem de ser administrador do sistema.

MostrarNão consigo converter as minhas páginas de acesso a dados

Se as páginas da base de dados do Access estiverem num web site, o Assistente de conversão não pode copiá-las. Para converter estas páginas:

  1. Copie todos os ficheiros de página e os ficheiros HTML relacionados para o computador local.
  2. Abra cada uma das páginas na janela da base de dados e altere a localização do ficheiro.
  3. Execute o Assistente de conversão.
  4. Teste as páginas no novo projecto do Access.
  5. Coloque as páginas e ficheiros HTML relacionados de novo no web site original.
 
 
Aplica-se a:
Access 2003